Ronco e apnéia do sono

Ronco e apnéia do sono

POR QUE RONCAMOS?

Quando dormimos toda a musculatura do nosso corpo relaxa. O relaxamento da musculatura parafaríngea (região que envolve o pescoço) causa, em algumas pessoas, um estreitamento da passagem de ar pela via aérea superior. Ao passar por este aperto o ar faz os tecidos do palato mole, da base da língua e as amígdalas vibrarem produzindo um ruído, o qual denominamos ronco.

PORQUE ALGUMAS PESSOAS RONCAM E OUTRAS NÃO?

Existem algumas variáveis individuais que influenciam para que este estreitamento seja maior, fazendo com que algumas pessoas ronquem e outras não. Os principais fatores que aumentam a chance de o indivíduo roncar são: excesso de peso, idade avançada, sexo masculino, uso de bebidas alcoólicas, uso de tranquilizantes e alterações anatômicas nas vias aéreas superiores (hipertrofia de amígdalas, adenóides, retrognatia, desvio de septo e etc.).

O QUE É APNÉIA DO SONO?

Como vimos, o ronco ocorre devido a um estreitamento das vias respiratórias superiores. Em alguns casos este estreitamento pode ser tão grande que a pessoa simplesmente para de respirar dormindo. Neste momento a quantidade de oxigênio no sangue vai caindo até que ocorre um despertar (que na maioria das vezes o indivíduo não toma consciência) para que o tônus muscular e a passagem de ar se restabeleçam. É considerado um episódio de apnéia do sono uma parada respiratória superior a 10 segundos. Muitas pessoas têm dezenas e até centenas destes episódios por noite.

COMO POSSO SABER SE TENHO APNÉIA DO SONO?

O ronco é o principal sintoma da Síndrome da Apnéia-Hipopnéia Obstrutiva do Sono (SAHOS). Porém nem todos os indivíduos que roncam têm ou terão SAHOS. Outros sintomas da SAHOS são sonolência diurna excessiva, sensação de sono não reparador e irritabilidade. Quando o médico suspeita de SAHOS o melhor exame para diagnóstico é a polissonografia, onde o paciente é monitorizado em diversos parâmetros (tais como saturação de oxigênio do sangue, fluxo respiratório, eletroencefalograma, eletrocardiograma entre outros) durante uma noite inteira. Uma avaliação antropométrica (Índice de Massa Corpórea, circunferência cervical), um estudo da anatomia das vias aéreas superiores e dos hábitos de vida do paciente também são fundamentais no diagnóstico

QUE PREJUÍZOS A APNÉIA DO SONO PODE TRAZER?

O ronco em si causa apenas incômodo social aos companheiros do paciente pelo ruído. Este incômodo não raramente pode ser causa de problemas conjugais significativos. Porém, se além do ronco o indivíduo apresenta também SAHOS diversas outras complicações podem ocorrer em decorrência da doença. As consequências mais reconhecidas para a SAHOS são aumento do risco cardiovascular (AVC e infarto), elevação da pressão arterial, diminuição da produtividade, aumento do risco de acidente automobilístico por sonolência excessiva, prejuízo da memória, irritabilidade, diminuição da libido entre outras.

EXISTE TRATAMENTO PARA RONCO/APNÉIA DO SONO?

Sim. Porém não existe uma fórmula mágica e nem um dispositivo que sirva para todos os casos. Sempre é necessária uma avaliação criteriosa, pois o tratamento deve ser individualizado e o que serve para um caso pode não surtir o menor efeito para outro. Os principais modalidades de tratamento são: medidas de ordem geral, que chamamos de higiene do sono, o aparelho intraoral (confeccionado pelo dentista), o CPAP (uma máscara nasal ou oronasal que força o ar evitando o colabamento das paredes da faringe) e a cirurgia.

QUE MÉDICO DEVO PROCURAR?

A abordagem da SAHOS é multidiciplinar. A Otorrinolaringologia, pneumologia, neurologia e a odontologia são as principais especialidades envolvidas no assunto. O importante é que você procure um profissional de sua confiança para que seu tratamento ocorra da melhor forma possível.

Compartilhar?