Refluxo Faringo-Laríngeo (RFL)

Refluxo Faringo-Laríngeo (RFL)

Ao contrário do Refluxo GastroEsofágico (RGE) que produz azia, dor no estômago e regurgitação dos alimentos; o RFL tem sintomas otorrinolaringológicos como tosse seca, “coceira” na garganta, pigarro, sensação da garganta estar “fechando”, rouquidão dentre outros, que, geralmente pioram ao se deitar.

Trata-se de um desequilíbrio entre a produção de ácido pelo estômago e a produção de saliva, pela boca. A saliva funciona como uma solução tampão, neutralizando tanto os ácidos como os alcalinos. Quando sua produção é ineficiente ou a quantidade de ácido produzido pelo estômago é muito grande, há um desequilíbrio e o pH da garganta começa a diminuir, ficando cada vez mais ácido. Quanto mais ácido o pH ficar, mais intensos serão os sintomas.

Muitos pacientes apresentam os sintomas de RFL após uma virose ou gripe, ficando com uma tosse seca persistente (“tosse de cachorro”) após melhorarem dos outros sintomas. Como se a agressão do vírus à garganta fosse a “gota d’água” que faltava para o início dos sintomas nestas pessoas, que já deviam ter um refluxo de grau leve sem sintomas (sub-clínico).

O tratamento do RFL consiste de orientação alimentar, controle do “stress”, elevação de cabeceira da cama e muitas vezes o uso de medicações que diminuem a acidez do estômago. Os resultados NÃO SÃO IMEDIATOS levando dias para o desaparecimento total dos sintomas. Xaropes para tosse não são eficazes e seu desaparecimento, assim como o dos outros sintomas, é gradual.

ORIENTAÇÃO ALIMENTAR ANTI-REFLUXO

1- Como devo me alimentar?

  • Comer devagar, mastigando bem os alimentos
  • Tomar líquidos somente antes das refeições
  • Se deitar após 2h da última refeição
  • Comer pouco, várias vezes ao dia (6 refeições diárias).

A digestão começa na boca e a saliva é muito importante, alimentos mal mastigados, diluídos em líquidos e pouco salivados aumentarão o trabalho do estômago além de distendê-lo, e o estômago aumenta a produção de ácido e pepsina para compensar.

A força da gravidade nos protege do refluxo quando estamos de pé. Se nos deitarmos de “barriga cheia” facilitamos o refluxo. Comer grande quantidade de alimentos ou ficar em jejum por muito tempo, também favorecem o refluxo.

2- Que alimentos devo evitar quando estiver com refluxo?

• Bebidas alcoólicas, fumo e antiinflamatórios (AAS, etc…).
• Café, chás (mate, preto), chocolate, refrigerantes.
• Alimentos gordurosos (frituras, pizzas, sorvetes, salgados).
• Alimentos condimentados, muito temperados, enlatados.
• Frutas ácidas (limão, abacaxi, tomate, etc…).

Após a melhora do refluxo, estes alimentos podem ser consumidos, porém com moderação. O ideal é você selecionar os alimentos que mais aprecia para consumi-los ocasionalmente e eliminar o restante de sua alimentação. O refluxo é um distúrbio da alimentação, atinge qualquer pessoa, pode ser controlado com boa alimentação, necessitando, por vezes, de medicação, porém os sintomas retornam, se houver um desequilíbrio alimentar novamente.

Compartilhar?